quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

Itália: "Migrante" tenta estuprar mulher prestes a dar à luz

Porque é que este maometano tentou estuprar uma grávida? Porque o Islão ordena aos seus seguidores que escravizem sexualmente as mulheres e crianças "infiéis":



Hospital Sant'Eugénio, em Roma.


Falar das atrocidades islâmicas em curso no actual processo de invasão e conquista do Mundo Livre já se tornou banal, mas ainda conseguimos espantar-nos de vez em quando.
Por exemplo, noutro dia na Suécia os "migrantes" estupraram uma menina menor de idade e incendiaram-lhe a vagina:
 

Metade das vítimas da jihad do estupro na Suécia são crianças, mas o governo feminista extrema-esquerdista do país não acha grave. Na Europa, os "migrantes" exigem que o estupro de mulheres e crianças brancas seja legalizado, pois faz parte do Islão.


Estupros em grupo por "migrantes", na via pública, perante o silêncio dos transeuntes, já nem são notícia. São o novo "normal" na Europa. Em certos casos, os "migrantes" continuam a violar as vítimas após a morte destas...
Desta vez, os "migrantes" mostraram que nem a maternidade é tabu para a sua ideologia:



No hospital de Sant'Eugénio 

Imigrante somali entra em sala de partos em Roma e tenta violar uma mulher em trabalho de parto
Escândalo em hospital de Roma, onde um somali, depois de iludir todos os controles, entrou na sala de partos e tentou estuprar uma mulher em pleno trabalho de parto.
O protagonista da história é um cidadão somali de 38 anos, que roubou o uniforme verde de enfermagem de um armazém no hospital de Sant'Eugénio em Roma e, depois de entrar na sala de partos, tentou estuprar uma mulher de 43 anos. anos. O homem foi preso por polícias em flagrante, em 31 de Dezembro passado e enfrenta acusações de violência sexual. 
Hoje, os juízes da quinta secção penal de Roma validaram a prisão e ordenaram a detenção preventiva na prisão. O autor da violência, na Itália há vários anos e com vários antecedentes, entrou na sala de partos enquanto a mulher estava com muitas dores a dar à luz.
O agressor introduziu as mãos na vagina da parturiente e começou a masturbar-se, desencadeando a reacção da mulher, que começou a gritar pelas enfermeiras e pelo médico, que imediatamente alertou a polícia. 
A defesa do somali alegará problemas psiquiátricos. O julgamento está agendado para o dia 10 de Janeiro.

Libero Quotidiano

Clique na foto acima para ampliar e confira que são viúvas e orfãos sírios que desembarcam em Itália.

Apesar de tudo,  ainda penseámos que esta notícia fosse uma brincadeira de muito mau gosto, mas conferimos em diversos jornais online italianos (só os regionais se atrevem) e conferimos a reacção de uma força política italiana (só uma se atreveu).
A "Grande Imprensa" ignora o acontecimento, é claro. Bem como os políticos "sérios", do Sistema. Se tivesse sido um padre que tivesse um filho de uma paroquiana estava nos telejornais todos. Assim, é apenas mais um episódio pitoresco de enriquecimento cultural.
E quem tiver objecções é "instigador do ódio" e "racista"!
A mentalidade maometana é assaz curiosa. Os partidários da Religião da Paz, por um lado violam mulheres e crianças, e por outro ensinam às nossas mulheres os padrões da decência Corânica:



Estuprador somali na sala de parto, Santanchè:
"Boldrini, aqui está a verdade sobre os muçulmanos: o que se deve fazer à besta?"

"Em Roma, um somali foi introduziu-se secretamente no sala de partos do hospital Sant'Eugénio e atacou sexualmente uma mulher, fingindo ser uma enfermeira. O episódio é miserável e inaceitável e uma pessoa assim deve ser enviada de volta para seu país muito rapidamente".
Enquanto todos os políticos estão em silêncio, a líder dos  Fratelli d'Italia, Daniela Santanchè, foi a única a estigmatizar o ataque sexual vergonhoso que teve como protagonista um somali de 38 anos.
Depois de tentar estuprar uma mulher grávida de 43 anos, o indivíduo teve a coragem de dizer: "Porque é que eu fiz isto? Somente Alá o sabe ...".
"Este crime - continua Santanchè - mostra que muitos imigrantes provenientes de países muçulmanos têm uma total falta de respeito pelas mulheres e pelo seu corpo, uma concepção distorcida que é totalmente incompatível com nossa cultura e nossa História. Saviano e Boldrini terão palavras de carinho e compreensão para com este personagem nojento?".

Claro que Saviano, Boldrini e toda a classe política, jornalística e académica (já para não referir o inefável Papa Francisco, que compara os colonos maometanos a Jesus Cristo), só terão amor e carinho para este estuprador de grávidas! 
Está estabelecido pela ideologia oficial que os maometanos são bons e puros por natureza, façam o que fizerem. Eles simplesmente não podem errar! E tudo o que façam de questionável é culpa do "capitalismo" e da "tradição judaico-cristã".


Maometanos na Europa ensinando as mulheres a serem decentes e recatadas:



"APENAS UM CASO DE TRANSTORNO PSIQUIÁTRICO PASSAGEIRO"...

A especialista em saúde mental (!) Joana Amaral Dias é uma acérrima defensora da teoria dos "problemas psiquiátricos". Gente iluminada...

Os partidários da invasão maometana do Ocidente vão alegar, como de costume, que se tratou de um "caso isolado". Talvez até que o estuprador é uma vítima da sociedade capitalista e do colonialismo europeu.
Mas o que está na moda agora são as "perturbações psiquiátricas". Causadas possivelmente pela sociedade capitalista e do colonialismo europeu!
Só desta semana, meia dúzia de "problemas psiquiátricos" que por acaso só atacam pessoas de uma religião que as manda matar os "infiéis":


Se os assassinos fossem cristãos e as vítimas fossem a sair de uma mesquita, a Imprensa internacional estaria interessada. Assim, não...
 

Se os assassinos fossem cristãos e as vítimas fossem a sair de uma mesquita, a Imprensa internacional estaria interessada. Assim, não...




Desde o 11 de Setembro, 32324 episódios de "problemas psiquiátricos" contabilizados - até este momento, amanhã já haverá mais umas dezenas de mortos e feridos.
Na semana de 23 a 29 de Dezembro de 2017, 32 "problemas psiquiátricos" contabilizados, que causaram 241 mortos e 164 feridos, atingindo 12 países.
Em 5 "problemas psiquiátricos" os pacientes fizeram-se explodir aos gritos de "Allahu Akbar".

1400 anos de "problemas psiquiátricos"

Islão já MATOU mais de 670 MILHÕES de inocentes

 



O horror do Islão ultrapassa a imaginação:

Islão - O que o Ocidente Precisa Saber

Visite a nossa secção JIHAD SEXUAL.


ALGUNS CANAIS YOUTUBE:

 


Os racistas dos italianos se calhar até se opõem ao estupro de mulheres que estão a dar à luz. O preconceito destes comedores de pizzas não tem limites... Tsc, tsc...

2 comentários:

  1. Parabéns a Europa,que abriu suas portas pra os islâmicos. O Brasil segue o mesmo caminho, depois que o governo do PT doou a embaixada Palestina um terreno para construção da sede. Oremos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Europa já não sai disto (se sair) sem uma guerra civil (que, aliás, já começou). O Brasil resistirá se eleger Bolsonaro.

      Abraço!

      OdF

      Eliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.